::. Notícias
Postado em 06/05/2019 as 09:05:29  
Campanha pelo Uso Racional de Medicamentos é um alerta para os altos números da automedicação no Brasil
A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou relatório alertando sobre o uso excessivo de medicamentos e inúmeros casos de resistência antimicrobiana, ambos causados pela automedicação. De acordo com uma projeção feita pelo documento, a automedicação pode matar 10 milhões de pessoas no mundo todo até o ano de 2050. 

A automedicação é considerado um hábito dos brasileiros, pois, segundo a pesquisa realizada pelo Datafolha, 77% dos brasileiros usaram medicamentos nos últimos seis meses. Desses 77%, 47% se automedicam pelo menos uma vez por mês e 25% todo dia ou pelo menos uma vez por semana. 

Os números sobre a automedicação são alarmantes, principalmente porque é uma prática grave, visto que de acordo com o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox), os medicamentos são o principal agente causador de intoxicação no Brasil desde 1994. 

Devendo ser tratado como um problema de saúde pública, a automedicação está ligada principalmente a doenças consideradas simples pela população como dores e resfriados. Ainda de acordo com a pesquisa realizada pelo Datafolha, apenas 22% dos entrevistados tiveram dúvidas no uso de seus medicamentos. 

Dia 05 de maio: Dia Nacional da Campanha pelo Uso Racional de Medicamentos 

O uso irracional de medicamentos não é um problema só no Brasil. De acordo com a OMS, mais da metade dos medicamentos vendidos no mundo inteiro são prescritos e dispensados de forma inadequada. Assim, torna-se imprescindível a constante conscientização sobre o uso seu uso racional, sendo o farmacêutico agente primordial na hora de informar e educar a sociedade, visto ser o profissional da saúde de mais fácil acesso à população e podendo ajudar a minimizar números tão graves.

Através de um conjunto de ações que priorize o paciente e não o medicamento, o farmacêutico deve aproximar-se através de um tratamento humanizado para que haja uma melhor adesão. Outra ação é a abordagem didática, uma vez que muitos prescrições são de difícil compreensão, o farmacêutico deve explicar de forma clara e simples como funcionará a medicação. Por fim, é de suma importância, quando não houver prescrição médica, que o farmacêutico oriente seu paciente adequadamente.    

A ONU também recomenda que no geral ocorra a priorização de planos de ação para ampliar esforços de financiamento e capacitação, uma regulação mais forte e apoio aos programas de conscientização para o uso racional de medicamentos.
 
::. Notícias
 
 
CENTRAL DE ATENDIMENTO
Av. Almirante Barroso, 788
Bairro: Marco - Belém/PA
CEP: 66090-000
[91-3239 9500]
crfpa@crfpa.org.br
Horário de Funcionamento: 9h às 17h
SECCIONAL SUDESTE
Rod. Transamazônica, Km 2, Folha 32, Casa A. Bairro: Nova Marabá. Marabá-PA
CEP: 68507-765
[94 - 3321-8233]
sudeste@crfpa.org.br
Horário de Funcionamento: 9h às 17h
SECCIONAL OESTE
Rua Dom Amando, nº 1310
Bairro: Santa Clara - Santarém/PA
CEP: 68010-080
[93 - 3522 7374]
oeste@crfpa.org.br
Horário de Funcionamento: 9h às 17h